João Batista Israel Silva

João Batista – Quem Foi o Precursor de Jesus?

João Batista – Quem Foi o Precursor de Jesus?

João Batista, “Eu sou a voz que clama, no deserto endireitai o caminho do Senhor”, dizia ele sobre si mesmo quando interrogado sobre sua identidade. Este foi o último profeta que veio da parte de Deus, antes do nascimento de Jesus.

A história de João Batista está no Evangelho Lucas 1:5-80 e é complementada pelo texto de Marcos 1:4-11. Ele aparece nos Evangelhos como o Precursor do Messias, o Profeta que anuncia a vinda do Cristo, “Aquele que vem após mim, é antes de mim”.

Os Evangelhos de João e de Marcos já iniciam as suas narrativas com o ministério de João Batista em pleno desenvolvimento. Já Mateus e Lucas contam um pouco mais sobre o nascimento de Jesus; e Lucas é quem traz mais detalhes sobre o nascimento de João Batista, mostrando que eles eram parentes.

E Lucas descreve que João Batista nasceu na região montanhosa da Judéia (Lucas 1:39), que é a região das Montanhas Centrais de Israel, e é também onde fica Belém, a cidade onde Jesus nasceu. Em Mateus 3:1, temos a indicação que ele foi para o deserto da Judéia, que fica na região próxima ao Mar Morto.

Então das montanhas da Judéia, ele desce para o deserto, e depois, em Lucas 3:3, ele é visto percorrendo toda a região ao redor do Jordão, que seria provavelmente a área ao norte do Mar Morto. E mais adiante, ele é preso e levado para a prisão de Machaerus, e lá é morto.

Os Locais de Nascimento, Ministério, Prisão e Morte de João Batista.

O Nascimento de João Batista

Os Pais de João Batista. זְכַרְיָה Zacarias “Deus lembrou”, e אֱלִישֶׁבַע Isabel “Meu Deus é promessa”.

João era filho do Sacerdote Zacarias, e de Isabel que também era da descendência de Arão. Assim, os seus pais eram ambos da tribo de Levi.

Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel. Lucas 1:5

Então veja que João era filho de um Sacerdote, portanto João Batista também era um Sacerdote, pois esse ofício era passado de pai para filho, e somente a descendência de Arão podia exercer o sacerdócio no Templo dos Judeus, em Jerusalém.

Daí fica a pergunta: Se João era um Sacerdote, o que ele fazia vivendo no Deserto? Porque um Sacerdote abandonaria o Templo em Jerusalém e iria viver no deserto?

Vamos tentar responder essa pergunta, mais a frente neste Estudo Bíblico. Agora, vamos continuar no tema do sacerdócio de Zacarias, pai de João. O texto diz que ele era da divisão de Abias.

Havia uma grande quantidade de Sacerdotes para servir no Templo, por isso eles foram divididos em divisões. Cada divisão servia no Templo por duas semanas ao ano. Uma divisão consistia de mil Sacerdotes, e apenas um deles podia entrar no Santuário para oferecer o incenso. Veja a lista dessas divisões abaixo.

As 24 Divisões Sacerdotais

Estas divisões foram estabelecidas desde a época de Davi:

E saiu a primeira sorte a Jeoiaribe, a segunda a Jedaías,
A terceira a Harim, a quarta a Seorim,
A quinta a Malquias, a sexta a Miamim,
A sétima a Hacoz, a oitava a Abias,
A nona a Jesua, a décima a Secanias…
1 Crônicas 24:7-18

O Templo em Jerusalém, Onde os Sacerdotes Serviam.

O Altar de Incenso do Templo dos Judeus.

Maria Visita Sua Prima Isabel

O Evangelho de Lucas menciona que Maria e Isabel eram “parentas”. Tanto os manuscritos Gregos como os em Hebraico trazem o termo PARENTA, e não PRIMA. O termo é συγγενης  em Grego, que em Hebraico é קְרוֹבָתֵךְ KAROVATER. A expressão não explica muito, significa um parentesco familiar. Isso explica porque Maria resolveu visitá-la (Luc. 1:39,40). Parece também que Isabel era bem mais velha de Maria (Luc 1.36 – “sua velhice”) e por isso alguns intérpretes acham (conjectura) que ela era sua tia.

E eis que também Isabel, tua prima [συγγενης ou קְרוֹבָתֵךְ que significa parenta], concebeu um filho em sua velhice; Lucas 1:36

“Bendita és tu entre as mulheres, bendito é o fruto do vosso ventre”.

E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá,
E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.
E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre.
Lucas 1:39-42

Apesar do texto bíblico não mencionar com exatidão o local onde Zacarias e Isabel moravam, de acordo com a Tradição Cristã o local do nascimento de João Batista foi Ein Kerem (fonte dos vinhedos, em Hebraico), uma região muito fértil nas montanhas de Judá, onde uvas são cultivadas até hoje.

Ein Kerem, o Local do Nascimento de João Batista.

O Nome de João Batista

Era costume da época dar ao filho o mesmo nome do pai, ou de um parente próximo. Mas o nome de João, que é Yochanan, “Deus é gracioso” em Hebraico, não havia sido dado a nenhum outro parente anterior daquela família.

E aconteceu que, ao oitavo dia, vieram circuncidar o menino, e lhe chamavam Zacarias, o nome de seu pai.
E, respondendo sua mãe, disse: Não, porém será chamado João.
E disseram-lhe: Ninguém há na tua parentela que se chame por este nome.
E perguntaram por acenos ao pai como queria que lhe chamassem.
E, pedindo ele uma tabuinha de escrever, escreveu, dizendo: O seu nome é João. E todos se maravilharam. Lucas 1:59-63

Zacarias não conseguia falar até aquele momento, pois tinha duvidado da visão que teve no Templo, do anjo que lhe disse que teria um filho. Ocorre que Zacarias e Isabel eram idosos, e isso seguia o mesmo padrão de nascimentos milagrosos que ocorreram com os patriarcas Abraão e Sara, e Isaque e Rebeca, cujas mulheres eram estéreis.

Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. Lucas 1:13

E eis que ficarás mudo, e não poderás falar até ao dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo se hão de cumprir. Lucas 1:20

Logo depois de sua apresentação no Templo e de sua circuncisão, o texto descreve que João foi habitar no deserto, local onde também se desenvolve o seu ministério.

E o menino crescia, e se robustecia em espírito. E esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel. Lucas 1:80

E Viveu no Deserto

Desde antes da época de João, muitos acreditavam que o deserto era um lugar onde Deus poderia ser encontrado com mais facilidade, pois fazia alusão aos quarenta anos em que o povo de Israel esteve no deserto, ocasião em que se viram os maiores milagres da Bíblia. Deserto também simboliza tempo de dificuldade.

Imagem do Miqveh, Uma “Piscina de Batismo” dos Essênios em Qumran, uma Comunidade Próxima ao Mar morto.

É preciso ter cuidado com essa interpretação, pois o povo de Israel esteve um período no deserto, assim como João Batista também esteve, até que ele foi apresentado publicamente aos Judeus (Lucas 1:80). Mas o deserto e o isolamento foram determinações temporárias para aprendizado, não era para ser um “estilo de vida”.

Já naquele tempo havia grupos que tinham como filosofia, viver no deserto, isolando-se do restante da sociedade “pecadora”, como faziam os Essênios.

Foi nas cavernas do deserto de Qumran, no final da década de 1940, que encontraram os Manuscritos do Mar Morto. Esses manuscritos continham uma mensagem bastante apocalíptica, falando do tempo do fim e do advento do Messias.

Realmente há muitos paralelismos entre a mensagem pregada por João e os Essênios. Inclusive os “tanques batismais”, que na verdade são tanques de purificação, são um paralelo com o Batismo de João no Novo Testamento. Há autores que sugerem que João Batista pertencia ao grupo dos Essênios. Particularmente tenho dificuldade de concordar com essa teoria.

Apesar de João ter tido uma vida ministerial semelhante a dos Essênios, provavelmente era não era um deles, pois os Essênios proibiam o casamento. É o que o Apóstolo Paulo chama de “asceticismo”:

Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças; 1 Timóteo 4:3

Também só usavam roupa de cor branca (Flávio Josefo, Guerras dos Judeus 2:8:3), enquanto que João Batista se vestia de forma rústica, na semelhança do Profeta Elias:

E este João tinha as suas vestes de pelos de camelo, e um cinto de couro em torno de seus lombos; e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre. Mateus 3:4

João Batista de Vestia de Forma Semelhante ao Profeta Elias.

E eles lhe disseram: Era um homem peludo, e com os lombos cingidos de um cinto de couro. Então disse ele: É Elias, o tisbita 2 Reis 1:8

O Local Onde João Batizava

De acordo com a Tradição Cristã, João exercia o seu ministério de batizar as pessoas, na parte do rio Jordão que é conhecida como Qasr Al Yehud, “Castelo dos Judeus” em Árabe, que é um local muito conhecido. Fica próximo à cidade de Jericó. Este foi provavelmente o local da travessia do povo de Israel, quando cruzaram o Jordão com Josué. E também foi aqui que provavelmente Jesus foi Batizado.

Qasr Al Yehud, o Local da Travessia do Jordão por Josué, é onde João Batizava, e onde ocorreu o Batismo de Jesus.

João Batista e Elias

Os Evangelhos fazem a conexão entre Elias e João.

Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor;
E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; Malaquias 4:5,6

E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos Lucas 1:17

Flávio Josefo Fala de João Batista

Então alguns dos Judeus pensavam que a destruição do exército de Herodes (Antipas) veio de Deus, e foi uma punição justa pelo que ele havia feito contra João chamado o Batista. Pois Herodes o tinha matado, embora fosse um bom homem e tivesse pedido aos Judeus para praticarem virtude, tanto justiça para com o próximo como reverência para com Deus, e assim fazendo se juntassem em purificação.

Porque imersão em água era evidente para ele, não poderia ser usado para perdoar pecados, mas como santificação do corpo, e apenas se a alma estivesse completamente purificada por ações corretas.

E quando outros o seguiam, visto serem movidos por suas palavras, Herodes, que temia tão grande influência sobre o povo fomentaria uma revolta –pois eles pareciam prontos a fazer qualquer coisa que João recomendasse –acreditava que era melhor agir agora que depois correr o risco de uma rebelião e colocá-lo numa situação que ele iria se arrepender.

Então, por suspeita de Herodes, João foi acorrentado para Machaerus, a fortaleza já mencionada, e ali assassinado. Mas a opinião dos Judeus era que em retribuição ao que aconteceu com João, Deus desejara a destruição do exército para afligir Herodes. (Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas 18.116-118)

É interessante essa parte que Flávio Josefo relata sobre que o Judeus pensavam que a destruição do exército de Herodes Antipas veio de Deus, por causa da prisão e morte de João Batista.

O caso é que foi Herodes que mandou prendê-lo e matá-lo. Por causa também de uma mulher, Herodias, que era mulher de seu irmão. Vejamos esse verso:

Sendo, porém, o tetrarca Herodes repreendido por ele por causa de Herodias, mulher de seu irmão Filipe, e por todas as maldades que Herodes tinha feito,
Acrescentou a todas as outras ainda esta, a de encerrar João num cárcere.
Lucas 3:19,20

Mas mesmo após matá-lo, Herodes ainda o temia! E como assim? Por causa dos sinais de maravilhas que ouvia, que outro Judeu estava realizando naquela região, Jesus Cristo! Herodes Antipas, Tetrarca da Galiléia, pensava que João Batista tinha ressuscitado! E temia vingança!

Naquele tempo ouviu Herodes, o tetrarca, a fama de Jesus,
E disse aos seus criados: Este é João o Batista; ressuscitou dos mortos, e por isso estas maravilhas operam nele. Mateus 14:1,2

Essa crença de Herodes era notória até mesmo para o procurador Romano, Governador da província da Judéia, Pôncio Pilatos. Por isso, quando Pilatos julgava a Jesus, e viu que o Cristo não tinha demonstrado nenhum poder sobrenatural, nem nada que o ameaçasse, logo envia Jesus para Herodes.

Era para que Herodes visse que aquele Galileu não era a “reencarnação” de João Batista, e que não lhe era perigoso. Herodes testa Jesus para saber se Ele possuía algum poder “mágico” que o ameaçasse, ou que o ligasse à figura de João. Mas Jesus se cala e nada realiza na presença “daquela raposa”.

Isso fez com que Herodes se “aliviasse” do medo que sentia por ter mandado matar João. Ele se sentiu agradecido a Pôncio Pilatos, e por isso o texto diz que os dois se tornaram amigos.

E Herodes, com os seus soldados, desprezou-o e, escarnecendo dele, vestiu-o de uma roupa resplandecente e tornou a enviá-lo a Pilatos.
E no mesmo dia, Pilatos e Herodes entre si se fizeram amigos; pois dantes andavam em inimizade um com o outro.
Lucas 23:11,12

A Morte de João Batista

A Fortaleza de Machaerus, na Atual Jordânia, é o Local onde João batista Foi Morto. Ao Fundo, Pode Se Ver o Mar Morto.

João foi preso e enviado para a fortaleza de Machaerus. Não se sabe exatamente onde era essa prisão, mas há algumas tradições que identificam aquela fortaleza, na região além do rio Jordão e ao Mar Morto, na atual Jordânia.

Festejando-se, porém, o dia natalício de Herodes, dançou a filha de Herodias diante dele, e agradou a Herodes.
Por isso prometeu, com juramento, dar-lhe tudo o que pedisse;
E ela, instruída previamente por sua mãe, disse: Dá-me aqui, num prato, a cabeça de João o Batista.
Mateus 14:6-8

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos e Pregações Evangélicas Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!