milagres Israel Silva

BATISMO NAS ÁGUAS EVANGÉLICO, O QUE É? – ESTUDO BÍBLICO

BATISMO NAS ÁGUAS EVANGÉLICO, O QUE É? – ESTUDO BÍBLICO

O que é o batismo nas águas evangélico? Qual é o significado do batismo? Quando iniciamos a nossa caminhada na estrada da fé, logo somos encaminhados para a “classe dos novos convertidos”, que é uma espécie de discipulado para os que acabaram de “aceitar” Jesus.

Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
Marcos 16:16

Provavelmente é durante essas primeiras instruções rudimentares do Cristianismo que ficamos sabendo sobre o batismo nas águas. Somos encorajados a inclusive ter esse evento como o nosso principal objetivo, o objetivo de passar pelas águas.

Mas qual seria a real necessidade de fazer esse cerimonial (diga-se de passagem, muito bonito!) de iniciação da fé evangélica? Vamos explorar nesse estudo bíblico, a história do batismo, como começou, os tipos de batismos e a importância que esse ato milenar ainda representa para nós, os Cristãos da era moderna.

O BATISMO NAS ÁGUAS NO ANTIGO ISRAEL

Imersão em água ou batismo é chamado em Hebraico de “tevilah”. Havia três tipos de “batismos” entre os Judeus da época de Jesus Cristo.

  • Imersão para impurezas – A Lei de Moisés, chamada de Torá requeria que as impurezas cerimonias (descritas em Levítico capítulos 13 e 15), fosses lavadas com água, antes que um Israelita pudesse adentrar ao Tabernáculo ou ao Templo em Jerusalém.

Esse tipo de imersão era destinada a limpeza do corpo, e a remoção de sujidades e micro-organismos que poderiam causar doenças nos Sacerdotes e Levitas, que manipulavam o sangue dos sacrifícios ofertados no Templo. Era também chamado pelos Apóstolos de “batismo do despojo da carne“.

agora vos salva, o batismo, não do despojamento da imundícia da carne
1 Pedro 3:21

Frequentemente, o mal entendimento desse mandamento levava as comunidades Judaicas à religiosidade extremada, como ocorreu com os moradores de Qumram (os Essênios), no deserto da Judeia. Eles tinham sistemas compostos por “piscinas”, já no ano 150 antes de Cristo, e que eram muito semelhantes aos tanques de batismos.

Foram construídos, também, o tanque de Siloé e o tanque de Betesda para facilitar o ritual de purificação exigido antes dos Judeus entrarem no Templo. Fizemos um estudo com título “a mulher do fluxo de sangue“, onde explicamos um pouco mais esse tema.

O BATISMO DOS PROSÉLITOS

  • Havia a imersão para conversão ao Judaísmo – Antes da vinda de Jesus, quando um estrangeiro queria se converter ao Deus de Israel, entrando para a comunidade de Israel, se tornava um Israelita, prosélito, por meio da circuncisão e do batismo em água.

Esta era a segunda forma de imersão em água mais conhecida em Israel. A primeira era por motivo de “impureza” (sujidades).

O BATISMO NAS ÁGUAS DE JOÃO

Então ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão;
E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.
Mateus 3:5,6

E havia o batismo praticado por João Batista, que posteriormente foi endossado por Jesus, como um dos Seus mandamentos aos Gentios/Cristãos de todo mundo que viessem a crer no Seu nome.

Concernente ao batismo de João, o historiador Judeu, do primeiro século, Flávio Josefo registrou que João:

…ordenou aos Judeus a exercer a virtude, e a justiça, uns para com os outros, e a piedade, uns para com os outros, e para com Deus, e que depois viessem ao batismo, assim seriam aceitáveis… (Josefo; Antiguidades 18:5:2)

O batismo de João não era para as impurezas físicas do corpo, nem mesmo para conversão ao Judaísmo. O batismo de João era simbólico, representava uma nova vida, um desfazer-se de si mesmo, a morte do egoísmo, e o nascimento do espírito.

A água representa a terra no princípio, que estava sem forma e vazia. Foi somente depois dessa constatação, de que a terra estava vazia, é que lemos que o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.

Essa é a alegoria que está no batismo nas águas. É quando nos esvaziamos de nós mesmo, morrendo com Cristo, é que atingimos o ponto do ressurgimento, com o Espírito de Deus habitando em nós. É nova vida, é deixar todas as práticas do pecado para trás, e trilhar um novo caminhar, pela fé.

O batismo evangélico simboliza o novo nascimento, além de ser uma confissão pública de fé em Jesus Cristo. Agora oficialmente o Cristão se torna membro da Igreja invisível de Jesus, e parte da comunidade dos santos.

Podem dizer muitas coisas atualmente, mas o batismo, a Igreja e o ato de congregar, de viver em comunidade, de ser discípulo, são todas ordenanças do nosso Senhor e dos Apóstolos. E o batismo é o primeiro passo para iniciar uma vida de comunhão com Deus e com os nossos irmãos em Cristo.

Até mesmo Jesus foi batizado, e nós não somos maiores que o nosso Mestre. Temos que ser iguais a Ele, no mínimo tentar imitá-lo. É bíblico passar pelas águas, e quem pode fazê-lo, se não faz, não está em total obediência ao mandamento do nosso Senhor.

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;
Atos 2:38

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Helena Maria disse:

    Eu estou muito satisfeita com os esclarecimentos acima. Feliz por demais por esses estudos bíblicos. Deus abençoe!

  2. Marta Feitosa disse:

    Muito bom o esclarecimento, porém tenho uma dúvida, sei que a água que batizamos não pode ser reutilizada, pq ? onde está na palavra, mesmo eu sabendo e tenho plena obediência, porém não sei o certo e que palavra devo embasar, para defender a minha Fé. Agradeço desde já, Marta Amorim Feitosa