milagres Israel Silva

O Tanque de Siloé | O Cego de Nascença | Estudo Bíblico

O Tanque de Siloé | O Cego de Nascença | Estudo Bíblico

No Evangelho de João 9:1-41, encontramos uma das curas mais lindas do ministério de Jesus, quando Ele mandou que o cego de nascença lavasse seus olhos no tanque de Siloé. Nesse encontro magnífico, se cumpriu as palavras que tinham sido ditas pela boca do Profeta Jeremias.

Há uma íntima relação entre João 9:1 e o texto de Jeremias 1:5, onde veremos que:

  1. O cego de nascença foi cego “desde o ventre da sua mãe” (parece redundante essa afirmação, mas esse fato que vai fazer diferença no entendimento dessa passagem);
  2. O chamado do Profeta “desde o ventre da sua mãe” é figurativo, que se realizou no tempo da vida de Jesus.
  3. O tanque de Siloé é uma alegoria que aponta para Jesus, o enviado do Eterno; e
  4. O cego “desde o ventre de sua mãe”, é assim chamado, em Hebraico, para contrastar com o chamado descrito em Jeremias, com a crença do pecado hereditário, a acusação que havia sobre o cego de nascença, que teria pecado “desde o ventre da sua mãe”.

Essa história é um cumprimento profético, e mostra como muitos heróis da fé passaram por dificuldades enormes, sofrimentos inimagináveis, mas que ao final da provação serviram ao propósito divino, para testemunhar e levar o Evangelho a todas as gentes.

Neste estudo vamos conhecer essa profecia, vamos explorar o significado do tanque de Siloé. Será que há pecado hereditário? E por que Jesus cuspiu no chão e fez lama para curar o cego de nascença?

Acompanhe conosco as respostas logo abaixo.

O tanque de Siloé

o tanque de siloé

O Tanque de Siloé em Jerusalém.

Durante o trabalho para reparar um grande tubo de água, ao sul do monte do Templo, em Jerusalém, na área conhecida como a Cidade de Davi, os arqueólogos Reich e Eli Shukron, identificaram dois antigos degraus de pedra. 

Mais tarde, escavações revelaram que eram parte de um tanque monumental, do período do segundo Templo, tempo em que Jesus exerceu o Seu Ministério na terra.

A estrutura do tanque de Siloé tinha 68,58 metros de largura, com cantos alinhados em um pouco mais de 90 graus, o que tornava a sua forma trapezoidal.

Qual foi a função da piscina de Siloé durante o tempo de Jesus? Como o tanque de Siloé era alimentado pelas águas da Fonte de Giom, localizada no Vale do Cedron, a água natural da nascente teria qualificado a piscina para uso como mikveh (tanque de “batismo“) para banhos rituais (mesma função do tanque de Betesda).

No entanto, também poderia ter sido uma importante fonte de água potável para os habitantes daquela parte da cidade.

Pecado hereditário

Havia entre os Judeus da época do segundo Templo, uma crença equivocada, de que as pessoas que nasciam com algum tipo de enfermidade ou deformação, estavam sendo castigadas por causa dos pecados de seus pais, ou por seus próprios pecados.

Para nós, atualmente, é inconcebível pensar que um embrião, ou um feto, tenha a capacidade de pecar estando ainda no ventre de sua mãe.

Mas não era dessa forma que os religiosos ultra-ortodoxos pensavam. No livro Midrash Rabbah Cântico dos Cânticos 1:41 (uma obra Rabínica) afirma que quando uma mulher grávida pratica a idolatria, o feto também comete pecado.

Este é apenas um exemplo de como o Judaísmo Rabínico acredita que uma criança, que nem ainda nasceu, é capaz de pecar. Esse pensamento é totalmente extremista e errôneo à luz das Escrituras.

Um feto, ou ainda, uma criança não tem a capacidade de saber o que é o certo ou o que é o errado. Não há como imputar pecado sobre seres inocentes, incapazes de praticar o mal. Além disso, os religiosos extremistas, ignoram o esclarecimento que está nas próprias Escrituras.

O texto do livro do Profeta Ezequiel deixa bem claro que o filho não pagará pelos pecados de seus pais. Ou seja, não existe pecado hereditário, não existe maldição hereditária. Essa crença é superstição e paganismo:

A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele.

Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá.

De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele…
Ezequiel 18:20-22

Por que Jesus fez lodo com saliva?

Fazer lodo/lama, com o pó da terra é uma alusão da criação do homem, que foi formado da terra, registrado em Gênesis 2:7.

E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra…
Gênesis 2:7

gênesis 2:7 em hebraico, a criação do homem

Deus formou o homem do pó da terra, assim como Jesus formou o lodo do pó, para restaurar a visão do cego.

Adão foi feito da terra por Deus. E Jesus estava repetindo, em menor grau, a mesma obra do princípio. Havia uma parte que faltava ao cego de nascença, a sua visão.

O Mestre, em um processo divino/criativo, toma da mesma matéria prima que foi usada no princípio do mundo, o pó da terra, e coloca sobre os olhos do cego de nascença, e completa a obra da criação.

Assim como no princípio Deus tomou do pó da terra para formar o homem, também Jesus agora toma desse mesmo elemento para restaurar a parte que faltava no homem cego, dando-lhe a perfeição dos olhos.

Essa foi uma grande demonstração da divindade de Jesus. É uma declaração explícita de quem Ele era.

Era a mesma obra do princípio; era a mesma matéria prima, o barro/lama/lodo; era o mesmo poder! Era a mesma Pessoa trabalhando, pois Jesus criou a visão do cego de nascença, a partir do pó da terra, porque Jesus é o Eterno!

É bastante significativo que Jesus tenha dito que o cego de nascença nasceu cego, para que nele fossem manifestadas as obras de Deus. E que obras seriam essas?

São as obras da criação! Veja o que Irineu, um dos pais de Roma, escreveu sobre essa passagem, no seu livro Contra Heresias:

Irineu em Contra Heresias: “aquilo em que o Artifice, a Palavra, tinha omitido formar no ventre, ele então restaurou em público”!

Lava-te no tanque de Siloé

E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo.
João 9:7

Tanque de Siloé, em Hebraico, são os termos בִּבְרֵכַת הַשִּׁלּוֹחַ “bivrechat hashiloach”- “tanque do enviado“. O primeiro termo, בִּבְרֵכַת “bivrechat” – “tanque”, possui a mesma raiz da palavra ברכה “berachah”, que significa “benção”.

O segundo, é הַשִּׁלּוֹחַ “hashiloach”, que significa “o enviado”. Poderíamos traduzir também os dois termos como “a benção do enviado”.

No verso 4, Jesus afirmou que, “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou…”, ou seja, Jesus é o enviado. E Ele mandou o cego de nascença se lavar no tanque de Siloé, no tanque do enviado, ou ainda, na “benção do enviado“.

Como vimos Siloé significa “enviado”, e se Jesus não tivesse sido enviado, nós não teríamos recebido a cura da nossa cegueira espiritual, conforme descreveu o Apóstolo Pedro:

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,
1 Pedro 1:18

O cego de nascença

E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença.
João 9:1

João afirma que Jesus viu um homem cego de nascença. Conforme veremos mais abaixo, no original em Hebraico, o termo correto seria “cego desde o ventre de sua mãe”.

Isso porque nele se cumpriu a mensagem do Profeta Jeremias, pois o diálogo ocorrido entre Deus e Jeremias é uma representação para uma “conversa” simbólica que “teria ocorrido” entre o Eterno e o menino, ainda no ventre de sua mãe.

Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.
Jeremias 1:5

Então disse eu: Ah, Senhor DEUS! Eis que não sei falar; porque ainda sou um menino.

Veja que nessa profecia acima, há uma relutância em aceitar o chamado divino. O “personagem” (por interpretação), reluta dizendo, “eu sou um menino”! Ele reluta em aceitar o seu chamado, pois ninguém gostaria de sofrer, não é mesmo?

Há muita gente acha bonito ser “um vaso” usado nas mãos de Deus, mas não sabe, ou não entende que ser instrumento do Eterno, muitas vezes significa passar por uma provação intensa e dolorosa.

Mesmo que seja para ser um profeta, ninguém quer passar pela dificuldade que o cego de nascença passou. “Antes que se formasse no ventrete dei às nações por profeta“. É um chamado muito duro!

É por isso que a Peshitta, para o texto do capítulo 9:1, do Evangelho de João, em Hebraico, traz no primeiro verso, as seguintes palavras:

 וְכַאֲשֶׁר עָבַר רָאָה אִישׁ עִוֵּר מִבֶּטֶן אִמּוֹ “vecaasher raah ish yiver mibeten imô “, “e quando passou, [Jesus] viu um homem cego, desde o ventre da sua mãe“.

Isso porque os religiosos extremistas, preconceituosos, afirmavam que o cego tinha pecado desde o ventre da sua mãe; porém Jesus estava afirmando ao contrário, que conforme profetizado por Jeremias, o chamado do cego de nascença é que era desde o ventre de sua mãe.

Para que? Para que a obra de Deus (o Evangelho) se manifestasse por meio dele.

Para dar testemunho de Jesus, diante das maiores autoridades religiosas de Israel, no Templo de Jerusalém, e levar a mensagem desse milagre, tão revelador do Evangelho, para todas as nações da terra.

E para que o cego de nascença não temesse diante dos religiosos, a profecia completa:

Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o Senhor.
Jeremias 1:6-8

O milagre, a transformação foi de uma natureza tão grande, na vida do ex-cego, que nem mesmo as pessoas que o viam todos os dias, pedindo esmolas, o reconheceram. Elas na verdade não conseguiam acreditar.

Então os vizinhos, e aqueles que dantes tinham visto que era cego, diziam: Não é este aquele que estava assentado e mendigava?

Uns diziam: É este. E outros: Parece-se com ele. Ele dizia: Sou eu.
João 9:8,9

Até que ele foi levado ao Templo, diante dos Fariseus, os homens que acreditavam ter herdado a autoridade de Moisés para ensinar a Lei, ao povo de Israel.

Mas o Senhor me disse: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás.

O testemunho do ex-cego de nascença foi tão sincero, que chega a emocionar. Realmente essas são palavras colocadas em sua boca, não pelo seu próprio intelecto, mas elas provinham do Eterno.

Chamaram, pois, pela segunda vez o homem que tinha sido cego, e disseram-lhe: Dá glória a Deus; nós sabemos que esse homem é pecador.

Respondeu ele pois, e disse: Se é pecador, não sei; uma coisa sei, é que, havendo eu sido cego, agora vejo.
João 9:24,25

Os Fariseus, diante de uma prova irrefutável de que Jesus era o Messias, ao invés de se converterem nos seus corações, então passam a demonstrar todo o seu caráter raivoso, orgulhosos, não aceitavam que Deus usava quem Ele quisesse.

Mesmo um simples homem cego, sem “pedigree” religioso; sem saber “falar bonito”, sem “faculdade”, sem “curso de teologia”.

Mas ele foi escolhido, para mostrar que o Eterno usa os pequenos para confundir os grandes:

Respondeu-lhes: Já vo-lo disse, e não ouvistes; para que o quereis tornar a ouvir? Quereis vós porventura fazer-vos também seus discípulos?
João 9:27

E em seguida, os Fariseus retrucam ao ex-cego de nascença, porém desse embate surge uma fala que talvez seja uma das maiores pregações do Evangelho, um diálogo que ficou conhecido em todo o mundo, para testemunho de Jesus em todas as nações:

Então o injuriaram, e disseram: Discípulo dele sejas tu; nós, porém, somos discípulos de Moisés.
Nós bem sabemos que Deus falou a Moisés, mas este não sabemos de onde é.

O homem respondeu, e disse-lhes: Nisto, pois, está a maravilha, que vós não saibais de onde ele é, e contudo me abrisse os olhos.

Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a sua vontade, a esse ouve.

Desde o princípio do mundo nunca se ouviu que alguém abrisse os olhos a um cego de nascença.
Se este não fosse de Deus, nada poderia fazer.
João 9:28-33

E novamente as autoridades religiosas de Jerusalém voltam a exibir o entendimento errôneo das Escrituras, com todo o peso do seu preconceito:

Responderam eles, e disseram-lhe: Tu és nascido todo em pecados, e nos ensinas a nós? E expulsaram-no.
João 9:34

E cumprindo-se mais uma vez a profecia de Jeremias, quando foi expulso do Templo, o Senhor, Jesus estava logo ao lado para o livrar.

Jesus ouviu que o tinham expulsado e, encontrando-o, disse-lhe: Crês tu no Filho de Deus?
Ele respondeu, e disse: Quem é ele, Senhor, para que nele creia?

E Jesus lhe disse: Tu já o tens visto, e é aquele que fala contigo.
Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou.
João 9:35-38

É interessante a última parte do verso de João 9:38, que traz os seguintes termos, וְנָפַל וְהִשְׁתַּחֲוָה לוֹvenafal vehistachavah lô”, “e caiu [de joelhos] e o adorou“.

O ex-cego, agora curado de sua visão física e espiritual, viu o que muitos ainda hoje não veem, e adorou a Jesus, porque Ele é o Eterno!

Mas o próprio Mestre fala sobre esse fato, de que há os que veem, e há também aqueles que se recusam a ver, a verdade pura que o Eterno se fez como um de nós, esteve neste mundo para nos conceder o perdão dos pecados.

E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem sejam cegos.
João 9:39

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. José Marques disse:

    estudo maravilhoso para nossa edificaçao, pai eterno te abençoe Israel Silva!