Gênesis Israel Silva

AS LEIS NOÉTICAS – A ALIANÇA DAS NAÇÕES EM ATOS 15

AS LEIS NOÉTICAS – A ALIANÇA DAS NAÇÕES EM ATOS 15

A aliança de Deus com Noé, após o dilúvio, é apresentada na forma de um conjunto de Leis universais, que muitos chamam de Leis Noéticas, e que parecem consistentes com as diretrizes que os Apóstolos deram às Igrejas, quando ocorreu o Concílio de Jerusalém, relatado em Atos 15.

Esse conjunto de Leis são de aplicação universal, alcançando Gentios, Cristãos e Judeus. Deus impôs requisitos mínimos de justiça e moralidade para todos os seres humanos, e a não obediência a esses preceitos mínimos pode atrair o juízo divino sobre os homens.

Quando lemos o Gênesis 9:1-6, vemos que o sentido literal (a peshat) do texto revela apenas poucos princípios. Deus ordenou aos filhos de Noé (isto é, os seres humanos) a se reproduzirem para povoar a terra.

O Eterno ordenou que não assassinassem, e que executassem juízo sobre os assassinos. Ele permitiu que comessem de tudo quanto desejassem, desde que não comessem “a carne com sua vida, isto é, com seu sangue“, ainda nela (Gênesis 9:4).

AS QUATRO LEIS NOÉTICAS

Obviamente, Gênesis 9:1-6 não traz em detalhes as regras que devem governar a ética e a moralidade na conduta humana. Por isso, para um estudo mais sistematizado, podemos listar essas regras como as quatro leis do Gênesis 9:

  1. Frutificai e multiplicai;
  2. Não coma carne com vida/sangue ainda nela;
  3. Não cometa assassinato;
  4. Exerça juízo sobre os assassinos.

Os antigos rabinos, os primeiros que analisaram essa passagem, conseguiram ler as “entrelinhas” do Gênesis 9, e fizeram algumas inferências lógicas. Dessa observação derivaram um total de sete Leis gerais, que eles acreditaram ser de aplicação para toda a humanidade.

Podemos assumir, com toda certeza, que o monoteísmo está totalmente evidente no texto, uma vez que o único Deus era quem falava com Noé, acrescentando, de forma subconsciente, mandamentos relativos à crença no único Deus: Proibição contra a idolatria e contra a blasfêmia.

Chegamos a essa conclusão, observando passagens bíblicas em que o Eterno condenou diversas nações por terem cometido idolatria e blasfêmia.

O mandamento para ser “frutífero e multiplicar e encher a terra”, está compreendido nas Leis contra a imoralidade sexual e contra o adultério e fornicação. Lembremos que Deus puniu Sodoma e Gomorra, e também os Cananeus por causa da corrupção sexual.

Portanto, a proibição contra os pecados sexuais deve ser aplicada universalmente, e está subentendida nas leis Noéticas, (parte da Torá) que como veremos mais adiante nesse estudo bíblico, foi reafirmada Pelos Apóstolos, em Atos 15.

Como a violência foi uma das causas que trouxeram o dilúvio sobre a terra, e sabemos que o roubo é uma das modalidades da violência (os Nefilins roubavam até mulheres), entendemos que a proibição contra o roubo, o furto, está também subentendida nas leis de Noé.

E finalmente, está muito clara proibição contra o derramamento de sangue inocente, e do julgamento dos assassinos. Esse mandamento só pode ser realmente implementado se as nações estabelecerem Cortes de Justiça.

Esses sete mandamentos que estavam subentendidos nas primeiras quatros regras do Gênesis 9, são chamados de Sete Leis de Noé:

AS SETE LEIS DE NOÉ

  1. Não adorarás ídolos ou outros deuses;
  2. Não blasfemarás o nome do Senhor;
  3. Não assassinarás;
  4. Não cometerás imoralidade sexual;
  5. Não roubarás/furtarás;
  6. Não comerás a carne com seu sangue/vida ainda nela;
  7. Estabelecerás Cortes de Justiça.

Essas sete leis de Noé servem mais como categorias gerais, que podem ser mais detalhadas ainda, por meio dos mandamentos da Torá/Pentateuco.

Claro que ao se adentrar no Antigo Testamento, deve se ter cuidado para não confundir os Mandamentos que são específicos para o povo Judeu, e que não são de observação obrigatória para os Cristãos/Gentios.

jerusalém

O Concílio dos Apóstolos em Atos 15, ocorreu em Jerusalém.


FILHOS DE NOÉ?

Então, a Bíblia já desde Noé, tinha estabelecido os requisitos mínimos para que os Gentios tivessem como mandamentos, de forma a serem os justos das nações perante ao Eterno.

Por que razão então, alguns Judeus crentes em Jesus (Yeshua), insistiram que “era necessário circuncidar e mandar que guardassem a Lei de Moisés” todos os primeiros Cristãos, que eram de fora de Israel? (Atos 15:5).

Acontece que os Gentios tementes a Deus, os Cristãos, não são considerados pelos Apóstolos como sendo apenas os “filhos de Noé”, ou בני נח Bnei Noach, como alguns chamam em Hebraico.

Por meio do Evangelho, Paulo considerava que os Cristãos eram co-herdeiros das promessas messiânicas em Cristo, e membros espirituais do povo de Israel.

E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira
Romanos 11:17

Os Judeus, crentes em Jesus, da época dos Apóstolos, consideravam os Cristãos como sendo filhos espirituais de Abraão, de Isaque e de Jacó. E muitos dos Fariseus convertidos, não tinham entendido que Deus não obrigava que os Cristãos fossem circuncidados (isto é, que se tornassem Judeus).

Os primeiros Cristãos eram muito próximos da comunidade Judaica, até porque Paulo, Pedro e os demais Apóstolos eram Judeus, assim como o próprio Jesus era Judeu. Mas isso não significava que os Cristãos tinham que se tornar Judeus também.

Entretanto, a conversão a Jesus, fazia com que os Gentios/Cristãos entrassem para uma nova categoria de pessoas, que eram mais do que “filhos de Noé”. A Torá, também chamada de Pentateuco, relata que havia no meio do povo de Israel, um certo grupo de pessoas que não era Hebreu/Judeu.

E te alegrarás por todo o bem que o Senhor teu Deus te tem dado a ti e à tua casa, tu e o levita, e o estrangeiro que está no meio de ti.
Deuteronômio 26:11

ESTRANGEIROS EM ISRAEL

Se a Bíblia já tinha as Leis básicas para as nações, como um padrão mínimo a ser seguido, por que razão os Apóstolos, em Atos 15, acharam necessário criar uma nova lista de Leis para que os Cristãos seguissem?

A um primeiro olhar, as Leis que os Apóstolos decidiram que eram para os Cristãos, e as Leis Noéticas, parecem ser redundantes, com partes em que uma repete a outra.

Então não seria mais simples que os Apóstolos tivessem dito, “guardem as Leis dadas a Noé“?

Na linguagem da Torá/Pentateuco, os Cristãos estão na categoria dos “estrangeiros que peregrinam no meio de ti“.

No Antigo Testamento, algumas Leis (mandamentos) se aplicam somente aos Judeus/Hebreus (a maioria), porém outras Leis se aplicam tanto para Judeus como para Cristãos (representados aqui pelo termo “estrangeiros”).

Todos os mandamentos Apostólicos, dados às Igrejas, se encaixam nos mandamentos dados aos “estrangeiros que estavam dentro de Israel“.

Veja que os mandamentos dos Apóstolos vão além dos mandamentos universais de Noé. O Concílio de Jerusalém, em Atos 15, parece ter derivado a sua resolução de Levítico 17-18.

Nesses capítulos, há a descrição dos pecados dos Cananeus, e há também avisos para que o povo de Israel não siga pelo mesmo caminho, e há a prescrição dos mandamentos proibindo tanto os Judeus quanto os estrangeiros que habitavam no meio do povo de Israel.

Ou seja, eram Leis que serviam tanto aos Hebreus/Judeus, quantos aos Gentios/Cristãos.

E estas proibições correspondem ao decreto Apostólico, registrado no livro de Atos:

Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.
Atos 15:29

AS LEIS EM ATOS 15

“QUE VOS ABSTENHAIS DAS COISAS SACRIFICADAS AOS ÍDOLOS…”

E nunca mais oferecerão os seus sacrifícios aos demônios, após os quais eles se prostituem; isto ser-lhes-á por estatuto perpétuo nas suas gerações.

Dize-lhes, pois: Qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre vós, que oferecer holocausto ou sacrifício,

E não o trouxer à porta da tenda da congregação, para oferecê-lo ao Senhor, esse homem será extirpado do seu povo.
Levítico 17:7-9

Aqui os Apóstolos vão além da proibição geral contra a idolatria. Eles demandam que os crentes em Jesus não comam de alimentos que foram oferecidos aos ídolos.

O livro de Levítico dá mais detalhes e afirma que esses alimentos são oferecidos aos demônios, e que os “estrangeiros que peregrinam entre o povo de Israel” (a mesma categoria dos Cristãos), não podem comer deles.

Temos que ser vigilantes, e ter cuidado com “certas festas” em que há até mesmo distribuição de “doces”, “pipocas”, alimentos que por si mesmos não contém mal algum, porém há um sentido espiritual nessas “festas”. Por detrás, há a adoração a ídolos, imagens e entidades.

Vede a Israel segundo a carne; os que comem os sacrifícios não são porventura participantes do altar?…

Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios.

Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.
1 Coríntios 10:18-21

“E DO SANGUE…”

E qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que comer algum sangue, contra aquela alma porei a minha face, e a extirparei do seu povo.

Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma.

Portanto tenho dito aos filhos de Israel: Nenhum dentre vós comerá sangue, nem o estrangeiro, que peregrine entre vós, comerá sangue.
Levítico 17:10-12

Aqui podemos ver que os Cristãos não podem comer sangue. Os Apóstolos, profundamente conhecedores da Bíblia, nos alertaram, nos deram mandamento, e precisamos saber que os que são filhos de Abraão por meio da fé em Jesus, não comem o sangue.

“E DA CARNE SUFOCADA…”

Também qualquer homem dos filhos de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que caçar animal ou ave que se come, derramará o seu sangue, e o cobrirá com pó…

E todo o homem entre os naturais, ou entre os estrangeiros, que comer corpo morto ou dilacerado, lavará as suas vestes, e se banhará com água, e será imundo até à tarde; depois será limpo.
Levítico 17:13-15

A proibição de se comer “carne sufocada”, se refere à carne de animais que não tiveram o seu sangue drenado do corpo, ou seja, que morreram por doença ou por algum acidente, foram atropelados por carros, ou mesmo os animais abatidos por predadores.

Agora, é aqui que vemos a diferença entre os “estrangeiros comuns”, ou seja, os Gentios das nações que não tem nenhuma ligação com o Deus de Israel, e os “estrangeiros que peregrinam no meio do povo de Israel” (os Cristãos).

Segundo Deuteronômio 14:21, o Gentio não crente em Jesus pode comer “carne sufocada”:

Não comereis nenhum animal morto; ao estrangeiro, que está dentro das tuas portas, o darás a comer, ou o venderás ao estranho, porquanto és povo santo ao Senhor teu Deus.
Deuteronômio 14:21

O “estrangeiro que está dentro das tuas portas“, no original em Hebraico é לַגֵּר אֲשֶׁר־בִּשְׁעָרֶיךָlager asher bisharecha“, “o estrangeiro que está no/ao seus portões“, ou seja é aquele é vizinho, que habita em terras próximas, não tem ligação permanente com o povo de Deus. Esse estrangeiro não está “dentro do povo de Israel”.

Mas “o que peregrina entre o povo de Israel”, no original em Hebraico é, הַגֵּר אֲשֶׁר־יָגוּר בְּתוֹכָם, “hager asher yagur betocham“, “o estrangeiro que habita no meio de vós“. Este é aquele que tem laços firmes com o Eterno. Esse também se tornou povo santo ao Senhor seu Deus, portanto segue o mandamento Apostólico e não come “carne sufocada”.

“E DA FORNICAÇÃO…”

Porém vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e nenhuma destas abominações [SEXUAIS] fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós;
Levítico 18:26

Nós tomamos a liberdade de adicionar a palavra “sexuais”, entre colchetes ao verso acima, por que ele é a conclusão dos versos que vem antes dele, uma longa lista de uniões proibidas – Levítico 18:6-23.

Esta lista proíbe incesto, bem como relações com mulheres durante o período da menstruação, adultério, homossexualismo, sexo com animais (bestialismo), e desvios sexuais semelhantes.

Mas a fornicação, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos; Efésios 5:3

Os Cristãos não estão obrigados a seguir toda a Lei de Moisés como os Judeus estão, porém esses mandamentos listados acima são os requisitos mínimos de ética e de moralidade para todos aqueles que seguem ao Senhor Jesus.

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. nimru alfredo haddadn disse:

    A Paz do Senhor! Vocês enviam estudos pelo PDF?

  2. mario disse:

    gloria a deus otimo estudo. gostaria de receber um estudo sobre o sabado para os cristao