milagres Israel Silva

O ARRAIAL DAS IMPURAS E O VALE DOS REJEITADOS REALMENTE EXISTIRAM?

O ARRAIAL DAS IMPURAS E O VALE DOS REJEITADOS REALMENTE EXISTIRAM?

O arraial das impuras realmente existiu? O assunto sobre o suposto “vale dos rejeitados” parece vir à tona, quando se examina a passagem que trata da cura da mulher do fluxo de sangue. Já li alguns artigos e mesmo pregações evangélicas afirmando que as mulheres eram levadas para esse local, quando estavam no seu período menstrual.

Mas será que isso realmente era verdade?

AS IMPURAS FORA DO ARRAIAL?

Acredito que essa informação tem origem na má interpretação dos textos que estão nos livros de Números 5:2 e Levítico 15:19-31. Vamos começar por Números para fazermos algumas considerações que vão esclarecer se havia ou não um arraial das impuras.

Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto.
Números 5:2

Como podemos ver no verso acima, o Eterno deu ordem a Moisés para que retirasse do arraial do povo de Israel, toda pessoa que estivesse enferma, especificamente com doenças altamente contagiosas como a lepra e quem padecesse, ou seja, quem tivesse alguma doença que causasse um fluxo contínuo no seu corpo (como a gonorreia, e infecções da pele, furúnculos, carbúnculos e etc, por exemplo).

Ocorre que o fluxo menstrual que dura de 3 a sete dias, é considerado normal, não é um “padecimento”, uma mulher não padecia de fluxo se o seu ciclo mensal estivesse compreendido nesse tempo. Portanto, não é verdade que adolescentes e mulheres eram retiradas da convivência de suas famílias durante o seu período mensal, para serem levadas ao “vale dos rejeitados”.

O segundo ponto que vale destacar, é que a ordem divina era para separar os doentes contagiosos do restante do povo, para prevenir a contaminação dos demais. Era uma medida puramente higiênica, que é usada até hoje nos hospitais, quando se colocam pacientes em quartos exclusivos para isolamento de contato.

Nem médicos nem enfermeiros podem tocar nesses pacientes sem auxílio de luvas e aventais, para não levarem micro-organismos para outros pacientes que irão, posteriormente receber cuidados. Essa ordem divina reflete a sabedoria de Deus, mesmo antes de haver ciência e conhecimento de microbiologia.

O terceiro ponto, é que segundo a tradição Judaica, cada arraial tinha na parte de trás, um local onde essas pessoas doentes eram cuidadas, até que ficassem curadas, como foi no caso de Miriam, irmã de Moisés. O povo de Israel não partiu do local em que estavam acampados, até que Miriam fosse restabelecida.

Assim Miriã esteve fechada fora do arraial sete dias, e o povo não partiu, até que recolheram a Miriã.
Números 12:15

Isso mostra que o mandamento divino era para a separação, para a não contaminação dos demais. O mandamento nunca foi para abandonar as pessoas com enfermidade contagiosa. Os Israelitas da época de Jesus não estavam cumprindo totalmente a ordem de Deus.

Eles expulsavam os leprosos e os que tinham fluxo, das cidades e os abandonavam. Os doentes eram deixados a sua própria sorte. Não foi isso que Deus ordenou a Moisés. Jesus, obedecendo a lei de Deus, entrou em várias dessas cidades isoladas de leprosos e os curou.

O QUE SIGNIFICA SER IMPURA?

A mulher no seu período menstrual ficava impura por sete dias, mas essa impureza era de natureza cerimonial apenas. Não era algo que se constituía em pecado, ou seja, ela não poderia ir ao Templo em Jerusalém para ofertar, ou adorar ao Eterno. As implicações da sua impureza eram somente estas.

O que passava disso, vinha da religiosidade extremista de alguns grupos Judaicos da época, muito notadamente dos Fariseus. Todo o que tocasse uma mulher no seu período, ficava impuro, porém a impureza era removida com o simples fato de se tomar um banho.

E qualquer que a tocar será imundo; portanto lavará as suas vestes, e se banhará com água, e será imundo até à tarde.
Levítico 15:27

Ou seja, era só fazer o que todos nós fazemos diariamente, tomar um banho à tarde e lavar as roupas. Nada que comprometesse a rotina de alguém. E além disso, essa purificação só seria de fato cobrada, se essa pessoa fosse entrar no Templo de Jerusalém.

Se não fosse ao Templo, nem isso seria cobrado, pois essas leis higiênicas foram dadas para o proteção dos Sacerdotes que recebiam centenas de pessoas por dia, vindas de todas as partes de Israel. Muitos vinham de muito longe, passavam as vezes dias sem um banho, viajando com ajuda de animais e acampando pelos caminhos.

Por isso fizeram, quase que em frente ao Templo, em Jerusalém, naquela época, dois tanques, o tanque de Betesda e o tanque de Siloé. Para que as pessoas pudessem se banhar e lavar as suas roupas antes de entrarem no Templo.

Veja que é justamente essa a preocupação que o texto de Levítico 15:31 expressa, na conclusão das leis de pureza e impurezas. Elas foram dadas para a proteção do Templo/Tabernáculo, e de todos aqueles lá trabalhavam, os Sacerdotes e os Levitas.

Assim separareis os filhos de Israel das suas imundícias, para que não morram nas suas imundícias, contaminando o meu tabernáculo, que está no meio deles.
Levítico 15:31

Muito embora as mulheres fossem tratadas com um grande preconceito pelos religiosos de Israel, apenas os leprosos viviam em comunidades que ficavam distantes das cidades. E eles constituíam vilas, com casas destinadas especificamente para a habitação de leprosos.

Esse isolamento era uma proteção para as outras pessoas, pois naquele tempo não havia as medicações da nossa era moderna, e a lepra oriental era altamente contagiosa.

Sobre a existência de um “vale dos rejeitados”, em que supostamente as mulheres eram levadas mensalmente para passar o tempo de sua menstruação, não é verdade, não há nenhum registro histórico na literatura bíblica.

Diante disso, podemos afirmar que não procede a informação de que havia um arraial das impuras, nem que as adolescentes e mulheres eram levadas para lá durante o seu período menstrual.

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

5 Comentários

  1. Pr. Carlos Alberto Martins disse:

    Um estudo bíblico acompanhado de um conhecimento hebraico, muda tudo. A compreensão é diferenciada. Obrigado Pr. Israel por nos proporcionar mais um grande conhecimento compartilhando conosco.

  2. DARIO RUFINO GOMES disse:

    GOSTEI DA BOA EXPLICAÇÃO. DEUS VOS ABENÇÕE.

  3. Josué disse:

    Olá, tenho uma dúvida,no livro de salmos 105 v 37, diz que não havia enfermos no meio do povo, como pois adquiriram essas enfermidades?

  4. Sirlei disse:

    Parabéns pelo texto excelente, primeira vez que alguém dá uma explicação precisa sobre este texto.
    E sempre bom aprender, para poder passar adiante
    Mais uma vez Parabéns meu irmão