Gênesis Israel Silva

A TORRE DE BABEL NA BÍBLIA E NINRODE – ESTUDO BÍBLICO

A TORRE DE BABEL NA BÍBLIA E NINRODE – ESTUDO BÍBLICO

A história da Torre de Babel na Bíblia começa com a narrativa de Ninrode. Esse personagem aparece no texto do Gênesis, após a passagem de Noé e o dilúvio.

E Cuxe gerou a Ninrode; este começou a ser poderoso na terra. 9
E este foi poderoso caçador diante da face do Senhor; por isso se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do Senhor.
E o princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar.
Gênesis 10:8-10

Ninrod fundou as cidades da Mesopotâmia, que mais tarde se tornaram os impérios da Suméria, Assíria, e Babilônia. O Gênesis chama Ninrod de “um poderoso caçador diante do Senhor”, que o comentarista Rashi lê como “contra o SENHOR”.

Ninrod tipifica todos os ditadores malvados que se lançaram em oposição a Deus. De acordo com o Targum Yonatan, Nimrod foi o pai da linhagem dos Faraós. Nesse sentido, ele foi o patriarca de todos os líderes malignos e imperialistas que buscaram a dominação mundial. Na semelhança dos Nefilins, Ninrod tipifica o AntiCristo.

A tradição oral (Midrash HaGadol) diz que ele se declarou uma divindade e escolheu um lugar para ser adorado. Assim como podemos dizer que Abraão é o pai da fé, podemos também afirmar que Ninrod é o pai da idolatria, que não seguia normas éticas (as leis de Noé).

É por isso que o Targum Neofiti diz que Ninrode foi um “gigante em pecados”:

E Cuxe gerou a Ninrode. Ele começou a ser um gigante na terra. Ele era um gigante em pecados. Ele foi um gigante diante do Senhor, por isso se diz: “Como Ninrode, um gigante em pecados diante do Senhor”. Targum Neofiti – Gênesis 10:8-9

QUEM FOI NIMRODE?

O nome Nimrod parece ser a junção de duas palavras Hebraicas, os termos נִיןniyn“, “descendente”, e מְרׂדmerod“, “rebelião”. Nimrode, portanto significa “filho da rebelião“.

O Gênesis, quando fala que ele era um “poderoso caçador”, está indicando que ele queria provar a superioridade humana em relação à criação bruta, que ele desejava, caçava e matava. O seu domínio começou pela natureza, e depois se estendeu em direção aos homens.

É assim o padrão dos tiranos, que primeiro mostram a sua força ou inteligência em algum aspecto do mundo físico, seja na economia, na ciência, e etc, para depois justificar a sua intenção de dominar para “melhorar” o mundo.

UMA ÚNICA LÍNGUA

E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala.
Gênesis 11:1

Quando estudamos sobre a torre de Babel na Bíblia, é impossível deixarmos de falar sobre línguas, confusão e dispersão, uma vez que foi ali que Deus confundiu a “língua deles”.

No Hebraico Bíblico, há duas palavras para indicar a linguagem humana. Temos o termo שָׂפָה “safah”, “lábios”, “língua”; e temos o termo לָשׁוֹן “lashon”, “língua”, “idioma”. Em Hebraico, a expressão idiomática “falar em línguas” significa “falar em diversos idiomas“.

De acordo com algumas opiniões, antes da confusão das línguas, na torre de Babel da bíblia, todos os seres humanos falavam o Hebraico, a língua em que Deus criou os céus e a terra. A literatura Rabínica segue uma tradição antiga e chama o Hebraico de a “língua dos anjos“, e de a לְשׁוֹן הַקֹּדֶשׁ “Língua Santa”.

Essa opinião é fundamentada na tradição oral, registrada no Talmude, em Chagigah 16a, que comenta o fato dos anjos terem falado uns aos outros, em Hebraico, no livro do Profeta Isaías 6:3:

E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.
Isaías 6:3

No original, os anjos falaram uns aos outros “kadosh, kadosh, kadosh Yehová tsevaôt“, na língua Hebraica, conforme a imagem abaixo.

isaías 6:3 os anjos falando em hebraico

A Torre de Babel Bíblia mostra que o Hebraico é a Língua dos Anjos, conforme Isaías 6:3.


Mesmo Paulo afirmou que Jesus se dirigiu a ele falando em Hebraico, em uma visão:

E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava, e em língua hebraica dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões.
Atos 26:14

Até o tempo da torre de Babel, o Hebraico era a única língua, falada até por Deus e pelos anjos. Com a confusão das línguas, surgiu a “língua dos homens“, as setenta línguas das setenta nações.

Ainda que eu falasse as línguas dos homens[os setenta idiomas] e dos anjos [o Hebraico], e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
1 Coríntios 13:1

PARTINDO DO ORIENTE

E aconteceu que, partindo eles do oriente, acharam um vale na terra de Sinar; e habitaram ali.
Gênesis 11:2

No período bíblico, ainda não se havia inventado a bússola magnética como a conhecemos hoje. A orientação era feita pelo nascer e pôr do sol. A direção do sol nascente era chamada de קֶ֫דֶםQuédem“, em Hebraico, podendo ser traduzido como “oriente” ou “frente” – era o “norte” da época.

Portanto, partir do oriente, significa andar em sentido contrário a “frente”, ou seja, é ir “para trás”. Eles estavam voltando da “frente” do mundo, indo para trás. Eles estavam, em uma linguagem espiritual, “regredindo”.

O Targum Neofiti tem uma leitura nesse mesmo sentido quando diz:

E quando eles causaram em seus corações para se moverem para longe do Senhor, eles encontraram um vale na terra de Babel, e habitaram ali. Targum Neofiti – Gênesis 11:2

Os homens da época de Ninrod e da torre de Babel, não progrediam espiritualmente, mas por causa do seu orgulho, eles estavam voltando ao erro da geração anterior, a do dilúvio.

Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.
2 Pedro 2:22

UM VALE EM SINAR

O Gênesis 11:2 diz que eles encontraram um vale na terra de Sinar, que é provavelmente, como mostram evidências arqueológicas, o Iraque atual.

Então os homens vieram de um lugar alto, das cordilheiras do Ararate, local do repouso da arca de Noé. Lugares altos, como as montanhas, falam de caminhos espirituais elevados. Noé deixou um legado espiritual muito elevado, de obediência e busca do Senhor, para a humanidade.

Repare que Deus fez a arca repousar sobre uma alta montanha, significando o quão elevado estavam os sobreviventes da arca no sentido espiritual.

Mas pouco tempo depois, aquela nova geração já havia se corrompido, e eles “descem” tanto geograficamente falando, como espiritualmente. E vão “achar” um vale, um lugar baixo, que é a síntese linguística que o Gênesis usa para descrever o quão baixo estava a espiritualidade deles.

E é esse o destino daqueles que se arriscam a descer no mundo espiritual, que deixam de andar pelos caminhos altos, caminhos de cumprimento dos mandamentos, caminho da obediência a Adonai. No final chegarão a lugares baixos, em depressões espirituais, onde o pecado e a escravidão de si mesmo reinam.

Serão escravos de suas vontades!

Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.
João 8:34

A TORRE DE BABEL NA BÍBLIA

a construção da torre de babel

E disseram uns aos outros: Eia, façamos tijolos e queimemo-los bem. E foi-lhes o tijolo por pedra, e o betume por cal.
Gênesis 11:3

A terra de Sinar, o Iraque, é rica em barro. Quase não há pedras e madeira. A região entre os rios Tigre e Eufrates é uma lugar de lama e lodo. Por isso eles resolvem fazer tijolos de barro queimado para o alicerce da torre de Babel.

Normalmente o alicerce era feito de pedras, de rochas. Mas a torre de Babel não tinha o seu fundamento construído sobre a rocha. A pedra é Cristo. Os tijolos de barro representam as obras humanas, mundanas, pecaminosas, tanto quanto a lama e o barro.

Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina
Atos 4:11

O BETUME POR CAL

O texto continua e relata que o betume serviu como argamassa para os construtores da torre de Babel na Bíblia. O betume é um tipo de piche, um derivado do petróleo que é semelhante ao asfalto. Era usado para impermeabilizar construções e embarcações, como Noé fez com a arca.

O vale de Sinar possuía betume em abundância, pois era praticamente o mesmo lugar onde Noé construiu a arca, pois ele a betumou por dentro e por fora.

Faze para ti uma arca da madeira de gofer; farás compartimentos na arca e a betumarás por dentro e por fora com betume.
Gênesis 6:14

Essa é um forte indicação que eles estavam buscando o mesmo lugar da geração do dilúvio. Estavam regredindo, buscando reconstruir a sociedade que foi destruída pelo dilúvio.

FAÇAMO-NOS UM NOME

E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.
Gênesis 11:4

“Façamo-nos um nome“, revela o desejo de serem iguais aos “homens de renome“, que nasceram da união dos filhos dos poderosos, “os filhos de Deus”, com “as filhas dos homens”, na geração pré-diluviana.

e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de renome.
Gênesis 6:4

Além disso, o nome na Bíblia é algo que representa o caráter de uma pessoa. A geração de Babel queria impor o seu nome, ou seja, as suas próprias qualidades morais. Eles queriam estabelecer o seu próprio padrão moral baixíssimo. Enquanto que o texto bíblico nos adverte que o nosso caráter, e o nosso padrão moral deve refletir o caráter divino.

O maior tesouro do mundo não é o nosso nome, mas o nome do Eterno, isto é, não é o nosso caráter que devemos exaltar, mas o caráter de Deus que deve ser imitado por nós.

e escreverei sobre ele o nome do meu Deus
Apocalipse 3:12

Conforme a geração do dilúvio, a geração da torre de Babel buscava a seleção (não)natural, para criar uma raça “humana” superpoderosa, a “raça pura”, nos moldes do nazismo de Hitler, como explicamos no estudo, os anjos tiveram filhos com mulheres?

E antes que essa loucura voltasse a ser realidade na terra, Deus confundiu as suas línguas, terminando com aquela segunda tentativa de se estabelecer um governo mundial para o mal. A torre cujo cume tocaria nos céus era a tentativa de entrar no mundo dos deuses.

Queriam fazer uma ponte para os céus (sem a escada de Jacó), usando um zigurate feito por mãos humanas. A única escada que liga a terra ao céu é Jesus Cristo, uma obra não feita por mãos humanas. Homem nenhum pode ligar a terra ao céu, a não ser Aquele que desceu do céu.

Mas sabemos que o verdadeiro anti-cristo voltará a edificar o reino de Babel. Sejamos vigilantes!

Bibliografia: Rediscovering Philo of Alexandria:: A First Century Torah Commentator – Volume I: Genesis; FFOZ Depths of the Torah – Bereshit, book 1.

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Higo Bruno disse:

    Ótimo esse estudo, tenho muito interesse no estudo da língua hebraica, mas ainda não estou com condições de comprar, será que não poderia disponibilizar uma “bolsa”!? Para estudar EAD?

    Mas mesmo assim, ficou muito bom esse estudo, parabéns, aprendi bastante!