Gênesis Israel Silva

DEUS SE ARREPENDE? E ARREPENDEU-SE DEUS DE TER FEITO O HOMEM

DEUS SE ARREPENDE? E ARREPENDEU-SE DEUS DE TER FEITO O HOMEM

Deus se arrepende? Analisando os textos sobre o suposto “arrependimento divino”, vi que há o os dizem que Deus não se arrepende; o que achei ser verdade. Outros dizem que Deus se arrepende sim; o que também achei ser verdade!

…???

Como estamos estudando o livro do Gênesis, nas suas principais passagens, vamos ver o texto da Parashá Noach, o início da história de Noé e o dilúvio, de onde o nosso tema se origina:

Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração. Gênesis 6:6

Vamos ver também esse mesmo texto no seu original em Hebraico, antes de continuarmos o nosso estudo bíblico.

gênesis 6:6 em hebraico, deus se arrepende

A palavra “e arrependeu-se”, é וַיִּנָּחֶם vayyinachem, está na voz passiva, Nifal.


Como disse mais acima, achei ser verdade que Deus não se arrepende, e achei também ser verdade que Deus, sim, se arrepende. E como pode ser isso?

Primeiro vamos ver versos que provam o que acabei de afirmar, depois vamos comentar e explicar melhor:

DEUS NÃO SE ARREPENDE

Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?
Números 23:19

E também aquele que é a Força de Israel não mente nem se arrepende; porquanto não é um homem para que se arrependa.
1 Samuel 15:29

Eu, o SENHOR, o disse: viva isso, e o farei, não me tornarei atrás, e não pouparei, nem me arrependerei; conforme os teus caminhos, e conforme os teus feitos, te julgarão, diz o Senhor DEUS.
Ezequiel 24:14

DEUS SE ARREPENDE

E o Senhor se arrependeu de haver posto a Saul rei sobre Israel.
1 Samuel 15:35

Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Ó Senhor, por que se acende o teu furor contra o teu povo…
Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo…
Então o Senhor arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.
Êxodo 32:11-14

Estendendo, pois, o anjo a sua mão sobre Jerusalém, para a destruir, o Senhor se arrependeu daquele mal; 2 Samuel 24:16

Naqueles dias Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal…Assim diz o SENHOR: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás.
Então virou Ezequias o seu rosto para a parede, e orou ao Senhor…
Então veio a palavra do Senhor a Isaías, dizendo:
Vai, e dize a Ezequias: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos.
Isaías 38:1-5

Se de boa mente ficardes nesta terra, então vos edificarei, e não vos derrubarei; e vos plantarei, e não vos arrancarei; porque estou arrependido do mal que vos tenho feito.
Jeremias 42:10

DEUS SE ARREPENDE OU NÃO SE ARREPENDE?

Como pudemos ver, há textos que dão suporte a dizermos que Deus se arrepende, e há textos que suportam que Deus não se arrepende, e ambos estão corretos. Para entendermos o que a Bíblia quer nos ensinar com essas passagens, vamos analisar o texto do verso que deu origem a este estudo, no Gênesis 6:6.

Ocorre que a palavra “e arrependeu-se [Deus]”, é וַיִּנָּחֶם vayyinachem, que está na voz passiva do Qal, na forma do Nifal. Veja essa tabela abaixo que ilustra as formas verbais do Hebraico Bíblico e as vozes dos verbos.

os binyanim paal, qal, hifil, hufal, hitpael, nifal, piel, pual

Os verbos podem ter a Voz Ativa, Voz Passiva e Voz Reflexiva em Hebraico.


Isso significa que o “arrependimento divino” é algo passivo. Lembra da voz passiva, na gramática do Português? É quando o sujeito da oração recebe a ação. Na voz ativa (que é o contrário da passiva), o sujeito pratica a ação.

Mas no caso de “Deus se arrependeu“, em Hebraico, o Eterno está recebendo a ação de “se arrepender”. De que forma? Por meio de provocações, tanto para o bem, quanto para o mal!

Os textos nos ensinam que Deus toma Suas decisões, e não as muda por si mesmo. Ele não toma a “ação” para mudar Seus próprios planos, sejam eles para o bem ou para o mal (aqui me refiro ao castigo) do homem.

HÁ UM ACUSADOR

O que muitos parecem esquecer é que as más ações humanas, a crueldade, o crime, a falta de piedade e de misericórdia para com o próximo, se constituem em elementos provocadores da ira divina. E também parecem esquecer o fato de que há um acusador, que acusa os homens diante de Deus, de dia e de noite.

porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. Apocalipse 12:10

O pecado também é um fator acusador, que contamina a terra, e a própria terra se contamina com o pecado humano, tudo isso se traduz em um clamor por justiça que chega diante de Deus, provocando-o a agir com castigo:

E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.
Gênesis 4:10

Então veja que há um elemento provocador, há um ser acusador, que fazem com que o Eterno receba essas acusações e o “obrigue” a agir. Deus é o recebedor da ação. É como um juiz que recebe a acusação do advogado de acusação. Ele não inocenta o acusado, a não ser que haja um argumento convincente da “defesa”.

NÃO É FILHO DO HOMEM PARA QUE SE ARREPENDA

É semelhante a conclusão da análise do verso que diz que “Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa“. Vamos ler no original Hebraico:

números 23:19, deus não se arrepende

Se arrependa“, em Números 23:19, é a palavra וְיִתְנֶחָםveyitnecham“, que está no na construção verbal (Binyan) Hitpael – uma construção reflexiva, que envolve “reflexão de si mesmo”. E esse tipo de mudança o Eterno não faz.

Como explicamos mais acima, é necessário um pedido, uma intercessão para que o Eterno mude a Sua sentença, pois Ele é um juiz imparcial. Veja o caso de Moisés e do povo, quando eles pecaram adorando ao bezerro de ouro.

Deus queria sentenciar o povo de Israel com a pena capital, porque há um acusador. Quando o homem peca, o “processo” de condenação na Corte Celestial já tem um acusador incansável:

Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
1 Pedro 5:8

Veja como satanás incitou Deus contra Jó, mesmo sendo ele um justo:

Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face. Jó 1:11

Por isso, Moisés sabia que a acusação contra o povo de Israel já tinha sido de alguma forma, estabelecida diante do Senhor. Moisés sabia que o Eterno não muda por si mesmo. Ele sabia que esse ato introspectivo/reflexivo de arrependimento é um dom, dado apenas aos seres humanos.

Por isso Moisés abre a sua boca para interceder por seus irmãos:

Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Ó Senhor, por que se acende o teu furor contra o teu povo…
Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo…
Êxodo 32:11-13

Veja a argumentação de Moisés para com Deus. Ele usa uma palavra “arrepende-te“, que foi traduzida no Imperativo para o Português. Parece que ele está repreendendo ao Eterno com uma ordem; mas não é isso.

A palavra no original é הִנָּחֵםhinachem“, novamente o verbo נָחַםnacham“, “arrepender” é usado, mas no Imperativo Hebraico, da construção Nifal, voz passiva.

O imperativo do Hebraico Bíblico é diferente do imperativo do Português. É também usado para expressar uma súplica, um pedido profundo. E está na voz passiva, fazendo com que Deus seja o receptor da ação, o receptor do pedido de mudança na sentença.

É uma súplica dramática, com se Moisés estivesse suplicando, “Eterno, por misericórdia, seja convencido a mudar a sua sentença capital“!

E o pedido, quando feito por uma Justo de coração sincero, tem efeito certo:

Então o Senhor arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo.
Êxodo 32:14

A ORAÇÃO É O QUE MUDA UM DEUS IMUTÁVEL

Por isso é necessário haver um pedido da “defesa”, pois a acusação é certa de haver, nós já falamos dele. É necessário oração, intercessão, súplicas, para que o Eterno se compadeça de nós, e não faça cair sobre nós a sentença que nós mereceríamos.

Mas devemos constantemente nos arrepender dos nossos maus caminhos, dos nossos maus pensamentos, das nossas más obras. Se nós voltarmos atrás nos nossos erros, e nos arrependermos deles, Deus também se arrependerá do mal que poderia nos atingir.

Precisamos orar. Precisamos clamar, pois “a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”.

Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.
1 João 2:1

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

4 Comentários

  1. Ailton Moraes disse:

    porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. Apocalipse 12:10 -então depois do sangue de Cristo o “demônio” não acusou mais nossos irmãos diante denosso Deus … ?

  2. Samuel Santos disse:

    Deus tenha misericórdia de nós pela riqueza da profundidade desse ensino libertador.