Gênesis Israel Silva

A CRIAÇÃO DO HOMEM E O LIVRE ARBÍTRIO

A CRIAÇÃO DO HOMEM E O LIVRE ARBÍTRIO

No estudo bíblico passado, vimos que o Adão foi criado à imagem e semelhança de Deus. E ainda neste tema da criação do homem, hoje vamos explorar com mais detalhes a forma como Deus fez o ser humano.

O texto que vamos ler, se encontra no Bereshit, o livro do princípio, Gênesis 2:7. Logo em seguida, vamos ver esse verso também no original, em Hebraico, para sabermos se há algum significado novo, oculto nas camadas mais profundas da Bíblia.

E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.
Gênesis 2:7

gênesis 2:7 em hebraico, a criação do homem

Na Criação do Homem, Deus usou a palavra וַיִּיצֶר Vayiytser, “E formou”, escrita com erro de ortografia.


A CRIAÇÃO DO HOMEM

A primeira pista que nos mostra que existe “algo mais” nessa história, pode ser encontrada na primeira palavra desse verso, וַיִּיצֶרvayyiytser“, “e formou“.

O que chama a atenção à essa palavra, é que está com um erro básico de ortografia em Hebraico. “vayyiytser“, “e formou“, é um verbo que está conjugado no modelo do VAYIQTOL, que é o futuro imperfeito que foi convertido em passado pela letra וַvav conversiva“.

Se você ainda não conhece o Hebraico Bíblico, não se preocupe, vamos explicar tudo em detalhes. Sei que essa parte é um pouco teórica, mas precisamos dessa teoria pra gente chegar na interpretação final.

Veja que eu transliterei para o Português וַיִּיצֶרvayyiytser“, com três letras Ypsilon, que representa a letra hebraica י Yod. Normalmente, nós escreveríamos “vayyitser” com apenas um Yod, com um pontinho. Veja a imagem abaixo:

vayyitser, e formou

Ocorre que o primeiro Yod (Y), está correto, pois há uma duplicação dessa letra devido a um sinal (Daguesh forte), recebido por causa do modo Vayiqtol que o verbo se encontra.  Porém o segundo Yod não deveria estar lá. É um erro ortográfico.

No Hebraico não existe duas consoantes seguidas. Quando há essa necessidade de se repetir a mesma consoante (duplicação), usa-se um sinal, um pontinho na consoante, chamado de daguesh forte. Então por que o texto bíblico foi escrito por Moisés com esse erro básico?

Os antigos estudiosos Judeus acreditavam que a Bíblia foi ditada e revelada por Deus, de forma que qualquer “anomalia” textual deve ser considerada como uma mensagem, algo simbólico que Deus quer nos passar, mas que exige de nós um olhar mais próximo da Palavra do Eterno.

E por que essa anomalia aparece logo no verbo que descreve a criação do homem?

O LIVRE ARBÍTRIO

Acontece que desde a criação do homem, Deus queria mostrar que Adão não seria igual aos outros seres criados. Ele seria diferente, teria uma capacidade que a nenhum outro ser foi dada; de obedecer ou de desobedecer a Deus.

Os dois Yods do verbo “e formou [o Adão]”, são uma indicação dessas duas possibilidades com que o homem foi agraciado. Deus não estava criando um robô programado. O Eterno criou um ser inteligente, livre, com capacidade de autodeterminação e que pode fazer escolhas.

A palavra que Deus usou para formar o homem, já nos revela que há dois caminhos, duas inclinações do coração humano, obedecer ou desobedecer; uma inclinação para fazer o bem e o que é certo (chamada de Yetser haTov); e a inclinação para fazer o mal e o que é errado (chamada de Yetser haRá)

Na sua criação, a inclinação para o mal não dominava o homem porque o Adão não conhecia o mal, nem o bem. Adão não tinha que se preocupar com mais nada, a não ser obedecer a ao mandamento de Deus, pois era Ele quem decidia o que era o bem e o que era o mal.

Comer do fruto do conhecimento do bem e do mal foi uma proibição divina, portanto era mal. Comer das outras árvores do jardim foi permitido, portanto era bem. Deus é quem determinava o bem e o mal. Não cabia ao homem decidir.

Então veja que o bem e mal estavam fora do homem, no fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Adão possuía somente os dois “yetser“, as duas possibilidades, obedecer ou desobedecer.

A INCLINAÇÃO QUE DOMINA O HOMEM

Depois da desobediência, e do pecado, o “yetser hará“, a inclinação para praticar o mal passou a dominar o ser humano. De forma que o homem tornou-se mau desde a juventude.

A “yetser haTov“, a inclinação para fazer o bem continuava a existir no homem, mas ele foi completamente dominado pelos seus maus instintos, pelas suas más vontades, pelos seus maus pensamentos, e tudo isso sufocou o bem que poderia existir nele.

De sorte que o mal pesou tanto, e foi de tal magnitude a maldade humana, ao ponto do próprio Deus constatar esse fato, na época de Noé e do dilúvio:

E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.
Gênesis 6:5

Agora veja que de forma interessante, a palavra usada no verso acima, Gênesis 6:5, para o termo “a imaginação dos pensamentos“, no original Hebraico, é  justamente יֵצֶרYetser“. Veja a imagem com este texto, logo abaixo.

Gênesis 6:5 em hebraico

A Imaginação dos Pensamentos é “Yetser” em Hebraico, “Inclinação do coração”.


A criação do homem foi algo magnífico. Sem dúvidas Deus se envolveu pessoalmente nesse evento criativo. Veja que as revelações do verbo empregado no ato da criação de Adão, não param por aí. O Eterno poderia ter usado qualquer outra palavra.

Poderia ter feito o homem com o verbo ברא “bará“, “criar a partir do nada”, um verbo geralmente usado para atividades divinas; Poderia ter feito, com o verbo עָשָׂה  “asah“, “fazer”, com significado amplo.

Mas o Senhor escolheu “fazer”, ou “criar”, com o verbo יָצַרYatsar“, usado por oleiros quando “fazem” seus vasos de barro. Veja que o termo da mesma raiz, יוֺצֵרyotser“, significa “oleiro”, ou “fazedor de vasos de barro”.

Isso por que Deus usou as Suas próprias mãos para fazer e moldar o homem, de acordo com a Sua soberana vontade. E usou um verbo com erro ortográfico, de propósito, para mostrar o quanto esse ser é especial!

De fato o homem é especial. Nele se encontram dois mundos; o divino, por meio do נִשְׁמַת חַיִּים nishmat hayyim, “o fôlego de vida”, soprado diretamente pela boca de Deus; e o mundo terreno, por meio do עָפָר מִן־הָאֲדָמָה afar min hadamah, o pó da terra.

São duas naturezas, a terrena e a divina que se encontram no ser humano. São dois caminhos. São duas inclinações, uma para o bem e para a vida; a outra é para o mal e para a morte.

Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas
Deuteronômio 30:19

Venha estudar o Hebraico conosco!

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Receba Estudos Bíblicos Diretamente no Seu Email! É Grátis!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Francisca Barbosa da Silva lira Lira disse:

    adoro esses estudos me edifica muito

  2. Aionam Barreto disse:

    Obrigada por mais esse estudo, tem sido muito bom.
    Por favor continue enviando.